Projeto Ockham
Método cientifico Método cientifico

por Widson Porto Reis mail
em 30/03/03

Hipóteses, teorias e leis

Fórum Enviar artigo

Vimos que o método científico começa com a observação da natureza. Com base na observação e apoiado pelo pensamento indutivo formula-se uma hipótese que, conforme você já deve ter percebido, nada mais é do que uma crença que se desconfia que seja verdadeira.

A partir daí deve-se testar a hipótese, ou seja, utilizar a hipótese para verificar o fenômeno que ela explica e, mais importante, utilizar a hipótese para prever novos fenômenos. Para testar a hipótese será quase sempre necessário um experimento, que num ambiente controlado possa quantificar o fenômeno. Independentemente do resultado, este experimento só será considerado válido se puder ser reproduzido por outras pessoas mantendo-se as mesmas condições. Se a hipótese se confirma uma vez ela pode estar correta. Se a hipótese se confirma um grande número de vezes ela deve estar correta. Se a hipótese não se confirma ela deve ser reformulada e novamente testada.

Quando uma hipótese já reúne um número considerável de evidências, obtidas por um grande número de pesquisadores independentes ela pode ser promovida à lei ou ajudar a compor uma teoria.

Uma lei, para a ciência, é um estatuto que explica de forma simples e concisa (por isso geralmente é enunciada de maneira matemática) um fato bem estabelecido pela ciência, com hipóteses amplamente testadas e validadas. Algumas das leis da física são a Lei da Gravidade ou as três Leis de Newton que você já aprendeu na escola. Já uma teoria é um conjunto de explicações sobre um certo tipo de fenômeno, ou um grupo de fenômenos semelhantes. Por exemplo a Lei da Gravidade é bem curtinha e simples: ela diz que os corpos se atraem com uma força proporcional às massas de cada um e inversamente proporcional ao quadrado da distância entre eles. Já a Teoria da Gravitação é muito mais ampla e complexa e faz uso da Lei da Gravidade para explicar os fenômenos relacionados à atração gravitacional.

É curioso que por que as palavras "teoria" e "lei" tem significados tão diferentes no cotidiano as pessoas leigas tendem a achar que as teorias são menos formais ou menos válidas do que as leis. Os defensores do criacionismo (aquele movimento que defende que a Terra foi criada por Deus em 6 dias literais) dizem que a Teoria da Evolução é "apenas uma teoria" e como tal não poderia ser ensinada nas escolas. Não caia nesse truque retórico. Uma teoria é tão consistente quanto uma lei. O que muda é só o escopo e abrangência de cada uma, não sua validade.

Voltemos às hipóteses: mas e quando diversas hipóteses servem para explicar o mesmo fenômeno? Ou seja, e se for possível explicar o mesmo fenômeno e prever os mesmos resultados utilizando hipóteses diferentes? Neste caso a ciência prefere adotar a hipótese mais simples, onde por mais simples se entende aquela que usa o menor número de suposições ou que introduzam o menor número de entidades novas na ciência. Afinal quando se faz o menor número de suposições possíveis é menos provável que se descubra mais tarde que uma delas estava errada. Este método é chamado de Navalha de Ockham.

Uma Lei da Natureza é o mais longe que podemos chegar com o método científico mas ela não constitui uma verdade definitiva, como veremos a seguir.

Ilustrando o método

O método científico e a Ladeira do Amendoim
Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem