Projeto Ockham
Prêmio Dragão Invisível O Projeto Ockham está lançando o Prêmio Dragão Invisível, em reconhecimento à pessoa, instituição ou veículo da mídia que tenha se destacado na propagação de pseudociências, terapias milenares que não funcionam, crenças que não têm fundamento e entidades que não existem.

Você pode colaborar enviando suas indicações por email (webmaster@projetoockham.org) ou através do nosso fórum. Os resultados serão divulgados no site e no Radar Ockham, nosso boletim eletrônico quinzenal (ou quase). Os laureados e suas realizações, que lhe conferiram a honraria, poderão ser conhecidos nesta seção do site.

O prêmio, que garantimos ter a forma de um pequeno dragão, nunca foi visto, mas será enviado por teletransporte, um método que infelizmente nunca funcionou. Se algum dos agraciados realmente receber o prêmio e nos enviar uma prova de sua existência, ele será imediatamente cancelado.

Dezembro/05

O primeiro agraciado com o Prêmio Dragão Invisível é André Basílio, autor do site A Fraude do Século, que defende a idéia de que o homem nunca foi à Lua.

André Basílio não é o único no Brasil a defender a idéia de que o homem não foi à Lua, nem mesmo é o mais famoso; neste aspecto o professor de cinema André Mauro - outra "autoridade" quando se fala na conspiração da Lua - tem um site mais visitado, um livro publicado sobre o tema e uma ida ao programa do Jô Soares no currículo. Mas no universo de falácias e argumentos insólitos que cerca o tema, Basílio se destaca pela criatividade. Em vez de simplesmente repetir um a um os argumentos dos conspiracionistas americanos, como seu colega André Mauro, Basílio introduziu suas próprias teorias e suposições, conseguindo a inacreditável façanha de levar o mito mais fundo ainda no terreno do absurdo e do non-sense.

Abaixo transcrevemos o trecho que assegurou o prêmio a Basílio.

Como é que funciona a refração? Para ficar mais fácil de você entender, utilize a sua mão próxima ao tampo de uma mesa. Veja como é a sombra de sua mão incidindo sobre a mesa. Aproxime a sua mão do tampo da mesa e perceba que a sombra passa a ficar mais escura. Aproxime mais ainda, quase encostando a sua mão na mesa e você verá que a sombra ficou ainda mais escura. Se você fizer isso à noite, com uma luz acesa, você verá que a tendência é de se criar uma sombra tão escura que fique impossível conseguir ver a mesa com perfeição quanto mais próxima da mesa estiver a sua mão. Por quê isso acontece? É devido às partículas de oxigênio (e outros gases) existentes no ar. Quando a sua mão está mais distante da mesa, há uma sombra, mas você ainda consegue enxergar esta parte da mesa com perfeição. Isto ocorre porque a luz que incidiria diretamente sobre a mesa foi barrada pela sua mão. Mas, parte da luz ainda conseguiu chegar à mesa porque entre a sua mão e a mesa existem partículas de oxigênio; e a luz que estava incidindo, de cima para baixo, conseguiu fazer uma pequena curva, através da refração da luz, uma vez que uma partícula iluminada de oxigênio conseguiu iluminar, em menor escala, uma partícula de oxigênio ao lado, que refletiu esta luminosidade para outra partícula, para outra, outra, até que chegasse ainda um pouco de luz na mesa. Portanto, com sua mão um pouco distante da mesa, você vê a sombra da sua mão, mas ainda consegue enxergar a parte da mesa na qual há a sombra. Mas, quanto mais perto sua mão fica da mesa, menos partículas de oxigênio existem para refletir a luz. Então, a sombra fica mais escura. Portanto, esta é a explicação sobre a formação da penumbra no nosso planeta, que existe devido às partículas de gases existentes no ar. Mas, e na Lua? Por quê não deveria haver penumbra na Lua? Simplesmente porque na Lua não existe atmosfera. Muito menos oxigênio! Não há gás algum sobre a superfície lunar, o que impede que haja penumbra. Portanto, se a foto acima possui penumbra, pode ter certeza que ela não foi tirada na Lua! Foi tirada na Terra! No nosso próprio planeta! E nos fizeram todos de trouxas!

Basílio conseguiu inventar uma nova e revolucionária teoria para a formação das sombras. Na verdade inventou uma física inteiramente nova, com diversas novas entidades como partículas de oxigênio e uma luz que faz curvas (a luz realmente é desviada por campos gravitacionais intensos, mas este obviamente não é o caso aqui). E munido desta física surreal partiu para o ataque público ao maior empreendimento de engenharia da humanidade, causando danos irreparáveis ao já combalido ensino científico do país.

Com dois minutos de pesquisa Basílio poderia ter descoberto que "umbra" e "penumbra" são as duas regiões de uma sombra. Umbra é aquela região completamente escura enquanto penumbra é a região em que a sombra é parcial ou imperfeita. Umbras e penumbras nada têm a ver com a quantidade de oxigênio entre a fonte de luz e o objeto, como Basílio inventou do nada, mas apenas com a extensão da fonte. Quando a fonte de luz é um ponto (ou porque é muito pequena ou porque está muito distante) toda a luz é bloqueada e a sombra torna-se perfeitamente escura e definida. Quando a fonte de luz é extensa, ou quando há outras fontes de luz presentes como no caso da Lua, onde boa parte da luz é refletida pelo solo, nem toda luz é bloqueada pelo objeto e a sombra fica imperfeita e difusa.

Por ter criado e divulgado uma Física completamente desligada da realidade e a utilizado para convencer um incalculável número de pessoas de que o homem não foi à Lua, André Basílio recebe o honorável prêmio Dragão Invísivel.

O troféu Dragão Invisível é invisível e indetectável mas juramos que ele tem a forma de um pequeno dragão muito bonito. Será enviado ao ganhador por teletransporte, por isso infelizmente não podemos garantir que chegue ao seu destino. Por outro lado podemos assegurar que não fará umbra nem penumbra na prateleira de Basílio...

Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem