Projeto Ockham

N° 4 • 03 Abr 05

Os prêmios "Pigasus"


Como acontece todo ano no dia 1o de abril, a Fundação Educacional James Randi divulgou os ganhadores do prêmio Pigasus, que reconhece os destaques da pesquisa (?) em fenômenos paranormais. Este ano, os premiados foram, entre outros:

O Dr. Rogério Lobo, da Universidade de Columbia (EUA), como o cientista que fez ou disse a maior besteira relacionada ao paranormal, por sua participação no estudo "Does Prayer Influence the Success of in Vitro Fertilization-Embryo Transfer?" , publicado no Journal of Reproductive Medicine (JRM). O estudo surpreendentemente concluiu que mulheres submetidas a tratamentos de inseminação artificial têm maior chance de ter filhos se desconhecidos rezarem por elas e foi alvo de intensa discussão entre cientistas. O impacto do estudo caiu por terra quando foi revelado que um dos outros autores do estudo, Daniel Wirth, é um advogado sem nenhuma formação médica e com uma ficha criminal por fraude, que acabou de ser sentenciado a cinco anos de prisão por crimes financeiros sem relação com o estudo. O Dr. Lobo, cuja participação no estudo foi fundamental para sua aceitação pelo JRM, tirou o corpo fora e afirmou que na verdade não participou de sua execução, apenas revisou o texto e não faz mais comentários sobre o assunto. O estudo acabou se tornando um grande fiasco científico, que vai se juntar a outros clássicos da história recente da ciência, como o célebre caso da fusão a frio.

O Laboratório de Pesquisas da Força Aérea Americana (US Air Force Research Laboratory), como a instituição de fomento que financiou o estudo mais inútil no campo do paranormal, por pagar 25.000 dólares ao Dr. Eric Davis, da empresa Warp Drive, para estudar o transporte de pessoas por meios psíquicos e por dimensões paralelas. O Dr. Davis preparou um relatório de 78 páginas onde defendeu o investimento de 7 milhões de dólares no projeto, apesar de concluir que "ainda estamos muito longe de teleportar pessoas e objetos inanimados". Ficamos todos desapontados ao descobrir que aquela máquina de transporte do Jornada das Estrelas não está prestes a ser lançada no mercado. Ainda bem que o Dr. Davis nos avisou...

Polêmica à vista
Dois trabalhos científicos publicados no final do mês passado prometem causar polêmica ao confrontar teorias estabelecidas da biologia e da física.

Na biologia
Todos sabem que os organismos vivos herdam seu código genético de seus pais, certo? Bem, parece que a história não é tão simples. Pesquisadores da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, afirmam ter observado plantas descartarem genes defeituosos herdados de seus pais e reverterem à versão saudável de gerações anteriores. Como isto aconteceria ainda é um mistério e os responsáveis pelo estudo especulam que algumas moléculas de RNA possam funcionar como uma espécie de "backup" biológico. Se for confirmada, esta descoberta vai balançar as estruturas da genética moderna. Por enquanto, a perplexidade dos cientistas é resumida por Steven Jacobsen, geneticista da Universidade da Califórnia: "É realmente estranho...".

Na física
E enquanto físicos discutem sobre a natureza dos buracos negros, George Chapline, físico do Laboratório Nacional Lawrence Livermore, nos EUA, afirma simplesmente que eles não existem. A existência de buracos negros é prevista pela teoria da relatividade de Einstein, que diz que quando uma estrela com massa suficientemente grande chega ao final de sua vida, ela entra em colapso reduzindo-se a um ponto infinitamente denso (ou uma singularidade, no jargão da física), com um campo gravitacional tão intenso que nada, nem a luz, seria capaz de escapar.

Recentemente, as previsões de Einstein sobre os buracos negros já foram contestadas, com a idéia cada vez mais difundida entre os físicos de que, na verdade, é possível sim que algo saia de um buraco negro. Ano passado, Stephen Hawking, que havia apostado com um colega que isto era impossível, concedeu que estava errado e mudou de idéia.

Agora, George Chapline vai um passo além e afirma que os buracos negros não existem. Realmente, os buracos negros são um dos pontos onde a relatividade e a física quântica entram em conflito, sendo sua conciliação um dos principais desafios da física moderna. Segundo Chapline, ao invés de sofrer um colapso total, a estrela seria preenchida com uma "energia negra", com efeitos gravitacionais complexos. De fato, há algum tempo os astrofísicos identificaram a presença do que foi chamado de "energia negra", responsável pela expansão do universo e que constituiria 70% de sua massa. Seria a teoria de Chapline a explicação para isso?

Nature
Nature

Santo Sudário em debate novamente
O santo Sudário está sob os holofotes da ciência novamente e desta vez graças a um professor de literatura. Nathan Wilson, professor da Universidade de St. Andrews em Idaho, EUA, afirma ter produzido com técnicas rudimentares uma imagem similar ao Sudário de Turim.

Tido pelos religiosos como a prova da ressurreição de Cristo e pelos cientistas como uma brilhante falsificação - a mais notável entre os diversos outros falsos sudários que circularam na Idade Média - o sudário de Turim sempre intrigou os estudiosos pela característica tridimensional da imagem, estampada no tecido como em um negativo fotográfico. Agora um professor de literatura, especialidade bem distante daquelas que normalmente se ocupam do estudo do sudário, afirma ter descoberto a resposta.

Ao pintar a imagem de um homem sobre um vidro e deixá-lo sobre um pedaço de linho ao sol por alguns dias, Wilson obteve uma figura em relevo foto-negativa muito semelhante à do Santo Sudário. "Onde a tinta branca havia sido aplicada ao vidro, o linho abaixo dele permaneceu escuro, e onde o linho permaneceu descoberto a imagem ficou mais clara", disse Wilson. O professor afirma que isto não siginifica que o santo Sudário tenha sido produzido desta maneira, mas pode explicar como o sudário poderia ter sido produzido por causas naturais em vez de causas sobrenaturais.

No entanto nem todos concordam com a afirmação do professor. Dan Porter, veterano no estudo do sudário, diz que a teoria de Wilson é ingênua e que o clareamento pelo sol não poderia ter produzido a imagem do sudário, que ele e outros pesquisadores acreditam ter sido gerada por reações químicas: "Um dos problemas com a hipótese de Wilson é que o sol apenas acelera o clareamento que ocorreria naturalmente com a exposição à luz. Eventualmente a imagem obtida por Wilson se desvaneceria à medida que fosse exposta à claridade, o que não acontece com o sudário de Turim", diz Porter.

A despeito da controvérsia, a teoria de Wilson tem feito barulho na internet desde que foi publicada na revista cristã Books & Culture. Agora o professor quer capitalizar sua teoria com um romance histórico. Pelo visto há um novo best seller a caminho, afinal, como já provou Ian "O Código Da Vinci" Brown, nada como uma boa conspiração religiosa para vender milhões de livros.

Discovery

Nova Pensar


Já saiu o novo número da revista Pensar, a melhor e única revista latino-americana dedicada ao combate às pseudociências e ao pensamento mágico, escrita com colaboração regular de autores brasileiros. Alguns dos temas desta edição:

CONTROVERSIA
De inconscientes, manchas, detectores de mentiras y otros mitos, por Carlos A. Domínguez

CONTRACORRIENTE
Temperatura y sensación térmica, por Celso M. Aldao

LAS CARAS DE BÉLMEZ: ADIÓS AL ÚLTIMO MISTERIO ESPAÑOL
por Gerardo García-Tro San Martín & Fernando L. Frías Sánchez

Revista Pensar

Exorcismo na TV
Diferenças culturais são algo fascinante. Enquanto no Brasil é possível assistir a shows de exorcismo todas as noites na TV, na Inglaterra o público do Canal 4 reagiu com revolta quando um homem foi exorcizado diante das câmeras.

Segundo um jornal londrino, o ritual durou apenas dois minutos, durante os quais o reverendo Trevor Newport rezou e ordenou ao demônio que abandonasse aquele corpo. Não houve tremores, obscenidades, cabeças girando, vozes de desenho animado nem nada que os fãs de "O Exorcista" e "Constantine" esperavam. Depois de tudo, o homem, chamado apenas de Colin, declarou estar se sentindo bem: "Eu sinto que havia demônios em minha vida e que eles foram embora agora". Dois médicos monitoraram a atividade cerebral de Colin durante todo o tempo, justificando a abordagem "científica" do tema.

Grupos religiosos e telespectadores em geral protestaram contra o que disseram ter sido um programa apelativo e sensacionalista. "Uma vez que você tenha um programa de exorcismo na televisão, nós nos veremos às voltas com um monte de telefonemas de pessoas dizendo 'eu acho que estou possuído' só porque elas têm algum problema que um doutor não pôde resolver." disse o bispo Dominic Walker; "Pessoas que precisam desse tipo de ajuda quase sempre são psicologicamente pertubadas".

Enquanto os ingleses protestam contra a exploração de pessoas que deveriam procurar ajuda médica em vez de rituais de exorcismo, nós tranqüilamente assistimos, noite após noite, às chamadas "sessões de descarrego" em que o demônio é acusado de causar dívidas, homossexualidade, ou apenas formigas na cozinha do pobre corpo possuído. Eis um legítimo abismo cultural.

ThisisLondon

Diferenças entre sexos: a discussão continua
Para quem se escandalizou com a sugestão do reitor da Universidade de Harvard, Lawrence Summers, de que diferenças genéticas poderiam ser o motivo da menor participação feminina nas ciências exatas, este texto da Dra. Diane Halpern pode ajudar a colocar a discussão na perspectiva correta: Sex, Brains & Hands: Gender Differences in Cognitive Abilities. A Dra. Halpern foi presidente da Associação Americana de Psicologia e é autora, entre outros, do livro Sex Differences in Cognitive Abilities.

Enquanto isso, Lawrence Summers, cujos comentários sobre possíveis diferenças sobre sexos acenderam um verdadeiro barril de pólvora na politicamente correta sociedade americana, foi alvo de um inédito voto de não-confiança por parte de professores de uma das faculdades da universidade. A votação, 218 a favor e 185 contra, foi simbólica e sem precedentes nos 369 anos de história de Harvard. Estadão

Rapidinhas
Indispensável para os modernos caçadores de fantasmas: o GhostRadar é um gadget que reúne memória USB, tocador de MP3 e uma luz que se acende na presença de "campos magnéticos incomuns". Por enquanto à venda só no Japão. Quem sabe a próxima idéia não seja uma armadilha para fantasmas wireless?



A foto acima faz parte do brilhante acervo do fotógrafo Tony Genérico, conhecido como 'o fotógrafo do splash'. O que os cientistas da universidade de Chicago descobriram é que fotos como as de Tony não seriam possíveis no vácuo. "Sem ar não há splash. Isso signifigica que você não teria splash na Lua" diz Sidney Nagel. Agora imagine o que os conspiracionistas da Lua diriam se vissem uma foto tirada na Lua sem splash...

Cadastre seu email para receber nosso boletim:
Pipoca com Ciência

Dragão da Garagem